Pages

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Lindberg dá a fórmula para o cidadão ver a política como a ferramenta das transformações


O presidente da Associação dos Rolezinhos, MC Chaverinho, de 20 anos, foi recebido no Palácio do Planalto no dia 10 pela presidenta Dilma. Depois, em entrevista ao IG ele disse: “Eu não gosto de política. Eu voto nulo”, ao ser questionado sobre suas preferências partidárias. “Também não me interessa se a Dilma vai se reeleger. O que eu quero é que o presidente, seja quem for, cuide das comunidades.” (Mal sabe o Chaveirinho a diferença que faz para as comunidades a escolha do presidente).
Mc Chaveirinho (de boné) na reunião com a presidenta Dilma.
Não condenemos Chaveirinho por pensar assim, porque o presidente Lula disse que já pensou desse jeito também. Lula disse que, mesmo quando já era líder sindical, foi "anti-político". Depois descobriu que a descrença dele na política era justamente porque não tinha representantes da classe trabalhadora eleita, e daí ele viu que o instrumento para transformação era, de imediato apoiar os menos reacionários (o MDB na época) e depois criar um Partido dos Trabalhadores e disputar espaço político.

Além disso, Chaveirinho tinha 8 ou 9 anos de idade em 2002. Mal sabe o que foi um governo demotucano e o risco que corre se o Brasil voltar a ter uma política neoliberal. Passou os últimos 11 anos ouvindo na TV e no rádio, lendo que a política é uma m..., que é só sinônimo de corrupção, que não tem diferença entre partidos. Coloque-se no lugar dele, com vivência dele, e talvez você também pensasse assim. Vitória do PIG (Partido da Imprensa Golpista) ao fazer campanha anti-política para continuar tudo como está ou, quem sabe, até conquistar uma nova ditadura nos moldes de 1964, se a maioria da população se desencantasse com a participação popular, a começar pela escolha via eleições, e pedisse um "salvador da pátria" (na verdade, um ditador).

Não adianta ficarmos só batendo no PIG se não criarmos meios para o Chaveirinho e tantos outros jovens iguais a ele enxergarem que a transformação da sociedade se dá pela política com "P" maiúsculo, a das lutas populares disputando o poder, como Lula também descobriu depois de negá-la.

Pois o senador Lindberg Farias (PT-RJ) deu uma fórmula que, sabemos, muita gente já pensa assim também. Aproveitou a comemoração da aprovação do Marco Civil para propor uma repaginada no jeito de fazer política, aproveitando os recursos existentes no século XXI, coisa aliás que integrará seu programa de pré-candidato ao governo do Rio.

Assim como o PT criou o orçamento participativo desde que assumiu as primeiras prefeituras, é hora de dar mais poder de decisão aos cidadãos, aproveitando a interatividade possível da internet.

Alguns assuntos que são técnicos demais, como uma lei dos portos, até é bom a gente delegar a nossos representantes no parlamento para se aprofundarem no assunto, explicarem ao eleitor que se interessar, e resolverem isso para a gente.

Mas outros assuntos a sociedade pode e deve decidir diretamente. Coisas como a reforma política, as prioridades orçamentárias e outras questões que todo mundo quer que o Congresso aprove e fica anos "cozinhando" nos gabinetes de parlamentares. Veja o discurso do Lindberg acima falando sobre isso.

Dilma marca um golaço: responde ao vivo perguntas sobre o Marco Civil da Internet.


A presidenta Dilma conversa diretamente com internautas em seu facebook sobre o Marco Civil da Internet neste link:

https://www.facebook.com/PalacioDoPlanalto/posts/385358621602010?relevant_count=1

Em tempo: E o Aécio queria ficar "cozinhando" o Marco Civil por mais três anos só ali nos gabinetes dos senadores, onde os barões das teles gostam de conversar a portas fechadas.

Ao bajular Globo, Eduardo Campos obrigou pernambucanos a pagarem R$ 50 milhões para ONG do Roberto Marinho


Quando governou Pernambuco, Eduardo Campos (PSB-PE) pagou R$ 49,5 milhões para a Fundação Roberto Marinho, ONG criada pelos donos da TV Globo. Tudo com dispensa de licitação.

Seguindo o caminho do dinheiro nas contas no governo Pernambucano, os gastos anuais foram:

2008: R$ 3.109.785,46
2009: R$ 8.052.310,00
2010: R$ 9.527.646,00
2011: R$ 6.579.083,00
2012: R$ 9.592.700,00
2013: R$ 9.653.678,00
2014: R$ 2.963.375,00 (até o início deste ano)

Total: R$ 49.478.577,46

Não é a toa que as organizações Globo e o Merval Pereira apoiam tanto Aécio Neves como Eduardo Campos, qualquer um.

O pior é que quase todo esse dinheiro saiu da Secretaria de Educação. Enquanto isso os professores pernambucanos reclamam do ex-governador não ter cumprido as promessas que fez.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco publicou uma carta sobre o que foi o governo de Eduardo Campos em Pernambuco para a educação:

A herança maldita continua na educação

O Governador Eduardo Campos, na política educacional, deixa para os governos futuros a herança maldita recebida dos governos passados. Enfim, os graves problemas da educação continuam. Os dados abaixo são preocupantes:

-15,7% da população pernambucana a partir dos 15 anos de idade, mais de um milhão de pessoas, são analfabetas.

- 4.263.137 pessoas, a partir dos 10 anos de idade, sem instrução e/ou com ensino fundamental incompleto.

-apenas 48,2% dos jovens com idade até 16 anos concluíram o ensino fundamental.

- só 40,8% das pessoas com idade até 19 anos concluíram o ensino médio.

-apenas 418.856 pessoas no Estado possuem o nível superior completo.

- 41% do quadro de professores são contratações temporárias (no ano de 2009 foram mais de 21.500 contratações temporárias na Secretaria Estadual de Educação).

O governador Eduardo Campos entrega o governo, no qual promoveu uma redução nos valores correspondentes à carreira dos trabalhadores em educação. No caso dos professores, houve uma redução de 34% para 0,97% no tocante à diferença entre o salário do professor de nível superior em relação ao professor de nível médio, a partir da maldita Lei Complementar nº 154. Esta diferença que hoje é de 5% chegará a 12%, em dezembro de 2014, fruto da nossa luta.

O governador Eduardo Campos entrega o mandato (ainda bem que esse dia chegou) pagando ao professor de nível superior e com 30 aulas por semana o valor de R$ 1.337,24 e ao professor de nível superior com 40 aulas por semana o valor de R$ 1.782,99. Esses valores colocam o Estado de Pernambuco na situação de pior salário do país pago aos Professores. A PROMESSA DE TIRAR O ESTADO DESSA SITUAÇÃO NÃO FOI CUMPRIDA.

Outro resultado negativo do governo Eduardo Campos é a nota do Estado no IDEB/ensino médio da rede estadual de ensino: 3,1. Portanto, RESULTADO FINAL:

REPROVADO!

50 dias para a Copa, 50 benefícios.


A 50 dias de a bola rolar para Brasil x Croácia, na primeira das 64 partidas da Copa do Mundo, o Portal da Copa reuniu uma série de informações que detalham os investimentos feitos em várias frentes para o Brasil receber o Mundial. Investimentos que transcendem, e muito, a construção e reforma das 12 arenas. Envolvem infraestrutura turística, aeroportos, mobilidade urbana, terminais de passageiros em portos e estrutura em segurança que ficará para as cidades-sede. Também incluem qualificação profissional, incentivo ao voluntariado e promoção do artesanato e de eventos culturais com valorização da cultura nacional. Em outra frente, mexe com a economia, antecipa investimentos em telecomunicações, gera empregos em diversos setores e implementa novos padrões de sustentabilidade em obras. Confira:
1. Mais turistas
A Copa aumenta a visibilidade do Brasil e atrai milhares de turistas estrangeiros.
2. Mais turistas gastando mais
Estudo da Embratur mostra que os gastos dos turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa devem chegar a R$ 25,2 bilhões em todo país.
3. Mais estrutura para os turistas
R$ 196 milhões estão sendo investidos em infraestrutura turísticas nas cidades-sede: novos Centros de Atendimento ao Turista, mais sinalização e acessibilidade que ficarão para o país.
4. Mais infraestrutura
A Copa antecipa investimentos em infraestrutura necessários para o Brasil.
5. Melhorias no país
Os investimentos são em mobilidade urbana, portos, aeroportos, estádios, segurança, telecomunicações e turismo.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O futuro da internet se decide no Brasil, diz El Pais.


http://internacional.elpais.com/internacional/2014/04/23/actualidad/1398219461_337462.html
O El País, um dos principais jornais europeus sediados na Espanha, destacou o evento NetMundial que ocorre em São Paulo e a aprovação do Marco Civil da Internet como decisivos para o futuro da Internet.

O artigo elogiou o vanguardismo do Marco Civil brasileiro, e narrou o confronto político em jogo.

De um lado Estados Unidos e Reino Unido que querem manter o controle da internet centralizado em suas mãos detendo, inclusive, os meios para espionar à vontade.

Do outro lado o Brasil, os BRICS e quase todo o resto do mundo que não querem a perpetuação de um modelo imperialista na governança da internet.

No fim do texto sobrou até uma ligeira zoada no senador Aécio Neves (PSDB-MG), citando o episódio em que Lindberg Farias (PT-RJ) desmascarou o tucano por ele ir contra os mais de 100 milhões de internautas brasileiros, ao "embaçar" a aprovação do Marco Civil, já debatido exaustivamente desde 2007 na sociedade e há 3 anos no Congresso.

O jornal não chegou a dizer, mas na prática Aécio foi líder do governo dos EUA no Senado brasileiro, enquando Lindberg foi o líder no Senado do povo brasileiro.

No jornal Le Monde, francês, também saiu uma grande matéria com o título "Brasil lidera revolta na net".

Mais um tiro no pé do Aécio: expôs suas 61 faltas ao trabalho no Senado.


O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deu dois tiros no pé ao querer desqualificar o senador Lindberg Farias (PT-RJ), na sessão de terça-feira (22).

O primeiro foi desagradar 100 milhões de internautas, ao tentar emperrar o Marco Civil da Internet.

O segundo foi jogar uma luz sobre o número absurdo de faltas ao trabalho no Senado.

Aécio tentou ficou sem argumentos, depois que foi desmascarado por Lindberg, quis agredir com desqualificações dizendo que o Lindberg teria chegado atrasado na sessão.

Lindberg rebateu explicando que enquanto ele é um dos senadores mais assíduos, Aécio tem um número de faltas elevado.

Segundo levantamento do site Congresso em Foco, nos anos de 2011, 2012 e 2013, Aécio já faltou ao trabalho no Senador durante 61 dias. E Lindberg de fato é um dos mais presentes. Foi o sétimo senador mais assíduo de 2013.

Para Aécio, seria melhor ter faltado mais um dia na terça para escapar desse vexame.

Lula recebe 27º título de doutor honoris causa

O ex-presidente Lula ganhou nesta quarta-feira o título de doutor honoris causa da Universidade de Salamanca, na Espanha. O título é o 27ª honoris causa recebida por Lula. "A instituição te honra, e você, presidente, honra esta universidade", disse o professor-padrinho Gonzalo Gomez Dacal, titular de educação que foi o patrono da escolha do ex-presidente para ganhar a distinção em educação e filologia, pelo desempenho do governo em divulgar a língua espanhola, adotada no ensino do Brasil.

De acordo com o Instituto Lula, no pronunciamento, o ex-presidente discursou sobre a emoção de ganhar a denominação honorífica de uma instituição de ensino superior "tão tradicional", com quase oito séculos, e de como o Brasil tem nos últimos 11 anos trabalhado para crescer no ensino, depois de "séculos de atraso", com projetos como o Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que aumentaram o ingresso dos alunos na educação de terceiro grau. "Tivemos de enfrentar o preconceito das elites, que nunca confiaram na capacidade do povo brasileiro", afirmou o ex-presidente.

Petrobras tem chance histórica de aplicar corretivo no mau jornalismo


Imagine o Jornal Nacional passar alguns dias tendo de ler direito de reposta após direito de resposta. Seria a desmoralização da qualidade do jornalismo dos veículos de imprensa que tiveram má conduta...

Quando a esmola é demais, o santo desconfia, já dizia minha avó. No caso da Petrobras, a esmola demais é o quase silêncio do governo federal durante semanas diante de ataques à imagem da empresa, usando a compra da refinaria de Pasadena e outros casos que "não pegaram".Só duas coisas poderiam explicar essa conduta. A primeira... Leia mais aqui

Net Mundial ao vivo

#NETmundial
Dilma sanciona Marco Civil da Internet no Net Mundial. Foto: Roberto Stuckert Filho
O Net Mundial - Encontro Multissetorial Global Sobre o Futuro da Governança da Internet - está sendo transmitido ao vivo (escolha o idioma de tradução simultânea no menu no topo do vídeo):

terça-feira, 22 de abril de 2014

Lindberg "nocauteia" Aécio no Marco Civil, mesmo com tucano partindo para a baixaria.


Durante a votação do Marco Civil da Internet, os senadores do PSDB estavam embromando. Falavam que eram a favor, mas arranjavam mil desculpas para não votar.

Apesar do Marco Civil ser um projeto acima de partidos, originado da sociedade brasileira, amplamente debatido e chegando a um texto final por acordo na Câmara dos Deputados, os senadores do PSDB e DEM estavam "embaçando" para não votar, criando dificuldades.

Os tucanos não queriam se queimar com os internautas, mas queriam fazer oposição sectária para que o Brasil não tivesse ainda um Marco Civil no encontro internacional sobre governança mundial da Internet promovido em São Paulo a partir de quarta-feira (22).

Aécio Neves (PSDB-MG) disse que a votação seria apenas para promover a presidenta Dilma Rousseff no encontro internacional sobre governança da Internet.

O encontro pretende abrir caminho para tratados internacionais que garantam direitos do internauta contra a espionagem ilegal, conforme ocorreu com agências de inteligência estadunidenses, denunciado pelo ex-analista Edward Snowden. Por isso o governo dos Estados Unidos não quer leis como o Marco Civil da Internet brasileiro, e nem que sirva de exemplo para outros países.

Portanto não era para a presidenta se promover, como disse Aécio. A questão é de direitos dos internautas, de soberania nacional e do nosso povo, de altivez na política externa e de protagonismo mundial do Brasil.

O PSDB tem um histórico de ser servil aos Estados Unidos em vez de servir ao povo brasileiro e de fazer uma política externa independente. O comportamento de Aécio confirmou isso.

Lindberg Farias (PT-RJ) tocou o dedo na ferida explicando tudo isso à Aécio no plenário. O tucano ficou enfurecido e partiu para agressões verbais e tentativa de desqualificar o oponente, já que havia perdido o debate político e não tinha mais argumentos para responder.

Houve bate-boca e o senador tucano Mário Couto (PSDB-PA) quis arrumar confusão para tumultuar e salvar Aécio do vexame. Tarde demais. O vexame já estava dado.

Logo em seguida o Marco Civil foi aprovado à noite. Aécio deveria ter ficado no Rio nesta terça-feira para não dar esse vexame.

O vídeo acima sintetiza o que importa. A questão política com "P" maiúsculo que estava em jogo, sem as baixarias de Aécio e Mário Couto.

Em tempo: a discussão completa com as baixarias de Aécio e Mário Couto podem ser vista aqui na TV Senado (Aécio começa a falar a partir dos 7 minutos).

Globo milita contra reforma política ao censurar manifestações que ela não gosta.


No feriado de Tiradentes, o Levante Popular da Juventude fez uma bela manifestação popular na Av. Paulista, pedindo uma constituinte para reforma política. Muita consciência política e nenhuma violência.

No Jornal Nacional da TV Globo, nenhuma palavra sobre o evento.

Não que faça falta, o telejornal está em decadência e que se dane, mas isso mostra o quanto a velha imprensa gosta mesmo é de uma ditadura e quer que as estruturas de poder continuem engessadas como estão, sem reformas, e com eles se mantendo nos monopólios dos poder, esfolando o povo.

Sem reforma política, se os demotucanos ganharem eleição, ótimo para a Globo e seus aliados banqueiros. Se perder, ainda assim o Congresso eleito fica conservador em sua grande maioria e um governo popular fica com margem de manobra limitada para fazer grandes transformações pedidas pela população. Na prática, fica impedido de contrariar os principais interesses da Globo e dos banqueiros.

Qualquer notícia mequetrefe que faça o povo odiar a política como ferramenta de transformação popular a TV noticia e dá replay mil vezes. Qualquer notícia positiva em direção a reformas que transformem a realidade, corrija vícios do sistema político e elimine as raízes da corrupção, a TV obstrui.

No Banco Itaú, protesto contra o financiamento privado de campanhas políticas

O Levante realizou uma intervenção no Banco Itaú da Avenida Paulista para denunciar o financiamento privado de campanhas políticas, estendendo uma grande faixa na frente do prédio.

Isso é que a Globo não noticia de jeito nenhum. Mesmo sendo uma intervenção pacífica, sem nenhum dano ao prédio, nunca vi a Globo mostrar algo que não fosse positivo de um grande anunciante privado.




Arraes sacode na tumba: Eduardo Campos tira os sapatos para Wall Street.

Eduardo Campos cada vez mais seduzido pelo programa de Bornhausen.

Quem diria, Eduardo Campos (PSB) agora virou o queridinho do "mercado". Em entrevista ao jornalão estadunidense Wall Street Journal é louvado por adotar políticas "pró-mercado" (leia-se anti-povo).

É o candidato dos 1% de Wall Street contra os 99% do povo.

Cito algumas barbaridades ditas pelo traíra pernambucano na entrevista:
Entre os pontos defendidos por Campos está uma “revisão” da Petrobras. Apesar de não falar em privatização, o pré-candidato disse que a estatal “deve ter uma gestão profissional”. “(A Petrobras) precisa ser protegida de qualquer tipo de influência política”...
Ora, a Petrobras tem "gestão profissional" para todos os gostos. É só escolher que rumo quer dar.

O povo, que é o maior dono da empresa, precisa de uma gestão profissional que defenda os interesses populares. Isso passou a ser feito, dentro do possível, a partir do governo Lula, e a empresa continua sendo a que tem maior lucro do Brasil, sendo um bom negócio para quem investe nela a médio prazo.

A "gestão profissional" que Eduardo Campos diz e oferece a Wall Street é um verdadeiro roubo do povo brasileiro. É entregar o filé mignon da riqueza do petróleo brasileiro para os 1% de tubarões de Wall Street e deixar só osso para o povo brasileiro.

Campos está imitando os tucanos. Foi assim que FHC foi eleito em 1994. Os banqueiros sabiam que não conseguiriam eleger um quadro tradicional dos seus. Foram buscar em FHC um candidato anti-povo, vendido ao neoliberalismo, que o povo ainda não tinha percebido que era um desertor das causas populares. Deu no que deu. Clinton mandava e FHC obedecia. Clinton cobrava e FHC pagava. Clinton mandava FHC vender a Vale a preço de banana e ele vendia. Clinton mandava aumentar tarifas telefônicas para a privatização ter retorno garantido e FHC obedecia. Clinton mandava o chanceler do governo FHC tirar os sapatos nos aeroportos dos EUA e ele tirava. Deu no que deu. Só os EUA se davam bem e o Brasil ia mal.

Agora Eduardo Campos se presta a fazer esse mesmo papel de cavalo de Troia anti-povo, e promete aos endinheirados fazer um governo de tirar os sapatos e se ajoelhar diante deles. Além de trair Lula, trai até a memória de seu avô Miguel Arraes, que deve sacudir na tumba ao ver seu neto se tornar um vendilhão neoliberal e trair as causas populares pelas quais ele lutou.

Em festa tucana para Aécio com dinheiro público, povo pobre não entra. Estudantes protestaram com farinha.

Ouro Preto sitiada para Aécio não ser vaiado.
Imprensa chapa branca demotucana, como a TV Globo, só fez perguntas que Aécio gosta.
Ninguém perguntou sobre o helicóptero do aliado Perrella apreendido com meia tonelada de cocaína.
Ninguém perguntou se a ausência de Pimenta da Veiga confirmava renúncia à candidatura.
Ninguém perguntou se a ausência de senadores e governadores tucanos era "cristianização" de sua candidatura.
Faixas reclamam de deboche e agressão à população, além do desperdício de dinheiro público.
Povo não pôde entrar.

Do jornal "O Tempo":

População excluída do evento

Excluídos da festa, muitos moradores reclamaram do fechamento da praça Tiradentes e do esquema de restrição de acesso às ruas próximas ao evento. Um grupo de cerca de 50 estudantes também protestou e vaiou durante toda a cerimônia. O barulho era notado no palanque, sem arrancar reações do senador Aécio Neves e demais autoridades. Os jovens jogaram farinha no meio da rua.

Só convidados e pessoas cadastradas puderam assistir a cerimônia. Um forte aparato policial foi montado para evitar manifestantes. “E um absurdo. Os seguranças não nos deixam passar e isso fere o nosso direito de ir e vir”, disse o estudante Fernando Silva, 25.

A dona de casa Maria Das Graças Silva, 54, também reprovou o esquema que limitou o acesso da comunidade. “Tive que andar mais de 20 minutos a mais para chegar a minha casa. Se é um evento popular não deveria ter tanta restrição”, reclamou.

Ouro Preto sitiada:

Palavras de ordem dos manifestantes:
A praça é nossa, a praça é minha! Mas tá fechada pra galera da farinha
Eu sou civil, a praça é minha, então porque o militar me policia?
A liberdade é só fachada! O apartheid em Ouro Preto nunca acaba!
Uso da máquina para fazer campanha

Apesar do evento ser oficial do governo de Minas e pago com dinheiro público, ganhou ares de showmício tucano.

A escolha de Aécio como orador já foi uma forma explorar o evento eleitoralmente. Apesar do povo local ser mantido à distância, gerou imagens e manchetes.

O pior foi o prefeito de Ouro Preto, José Leandro (PSDB). Fez campanha eleitoral antecipada sem a menor cerimônia, dizendo que iriam eleger Aécio o próximo presidente.

Pimenta da Veiga cada vez menos candidato

A ausência do pré-candidato a governador Pimenta da Veiga pelo PSDB foi notada e interpretada como sinal de que sua candidatura já foi para o vinagre.

Apesar dos tucanos ainda desmentirem que ele vá desistir, desde que o tucano foi indiciado por lavagem de dinheiro após a Polícia Federal quebrar seu sigilo fiscal e descobrir que ele só declarou no imposto de renda em declaração retificadora o dinheiro que recebeu de Marcos Valério, depois de ser pego com a boca na botija durante a CPI dos Correios.

Ausência de lideranças nacionais mostram candidatura de Aécio frágil

Apesar de haver 240 agraciados com medalhas, muitos não compareceram. Nenhum governador de outro estado veio, nenhum senador, pouquíssimos deputados. Nem FHC foi dar uma força. Um vexame para Aécio, desprezado pelos próprios tucanos.

O cafezinho da campanha presidencial tucana parece que já está sendo servido frio antes mesmo da campanha oficial começar.

Fantástico da TV Globo bate recorde de FALTA de audiência. Só 14 pontos no Ibope.

No domingo de Páscoa (20) o programa “Fantástico” teve média de 14 pontos. É o recorde negativo histórico do “show da vida”. Antes, a mais baixa audiência era 15 alcançados no último Carnaval. A média de audiência em 2013 foi 19% e em constante decadência nos últimos anos.

O concorrente da TV Record, Domingo Espetacular, está só 4 pontos atrás do Fantástico, alcançando 10 pontos.

A decadência ocorre também pelo excesso de demotucanismo da TV Globo, que ninguém aguenta mais.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Eduardo Campos meteu a mão na conta de luz dos pernambucanos em R$ 154 milhões

Todo mundo se lembra que a presidenta Dilma reduziu a conta de luz no ano passado, repassando para os consumidores o custo menor da energia gerada pelas antigas hidrelétricas.

Em Pernambuco, o então governador Eduardo Campos (PSB-PE) atrapalhou a redução nas tarifas, embolsando parte do valor na forma de impostos estaduais.

Isso porque ele continuou cobrando ICMS (o imposto estadual) sobre o subsídio dado pelo governo federal desde fevereiro de 2013.

O cidadão não paga o subsídio dado pelo governo federal, mas Eduardo Campos cobrou imposto até sobre o que cidadão não paga. Coisa de louco, que provocou reações de deputado e até de colunistas do PIG.

Essa exploração do cidadão já rendeu, irregularmente, R$ 154 milhões para o governo de pernambuco. Se ainda fosse investido em educação, saúde e segurança, menos mal. Mas o ex-governador fez uma verdadeira farra com o dinheiro público, gastando em propaganda.